Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Implantação e Organização da Segurança de Voo na Av Ex

A etapa inicial de formação de pessoal, que se iniciou em março de 1986, foi de suma importância no processo de implantação da Filosofia de Segurança de voo.
Com a colaboração imprescindível da Marinha do Brasil e da Força Aérea Brasileira que, além de fornecerem as primeiras turmas de aeronavegantes do Exército, possibilitaram que estes conhecessem a importância da atividade de prevenção de acidentes aeronáuticos.

A partir de 1987, oficiais começaram a freqüentar os Cursos de Segurança de voo e os Estágios do Fator Humano e Material, que foram realizados no Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos do Ministério da Aeronáutica (CENIPA), por meio dos quais o Exército obteve contato com a concepção da Filosofia de Segurança de voo.

A Filosofia que tem como meta a Prevenção de Acidentes e Incidentes Aeronáuticos, até então inédita na rotina operacional e administrativa das Organizações Militares da Força Terrestre, foi de pronto adotada na estrutura organizacional da Aviação do Exército.

Em 03 de julho de 1989, foi criado o Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos do Exército (SIPAAEx) e estabelecidas as diretrizes para o seu funcionamento, fundamentadas nos seguintes objetivos:

  • estabelecer as atribuições e competências aos órgãos e elementos constitutivos, a fim de otimizar o funcionamento do SIPAAEx;
  • priorizar os fatores que contribuem para o acidente ou inicidente aeronáutico e a forma como ocorrem, recomendando, exclusivamente, medidas preventivas e corretivas que possam evitar sua repetição;
  • implantar na Aviação do Exército, uma filosofia de segurança ao nível de exigência requerida pela atividade aérea;
  • integrar a Aviação do Exército à atividade SIPAER vigente no pais, respeitadas as particularidades inerentes às atividades aéreas operacionais do Exército; e
  • montar um Programa de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos eficiente para a Aviação do Exército.

A operacionalização da segurança de voo consolidou-se com a Portaria Interministerial Nr 001, de 08 de Agosto de 1995, cuja diretriz estabelece procedimentos a serem aplicados em caso de acidente ou incidente aeronáutico no âmbito das Forças Armadas, de modo a integrar esforços a fim de manter elevado o nível de Segurança de voo na atividade aérea militar brasileira.

Nas atividades da Aviação do Exército, a mentalidade de Segurança de voo deve estar presente, em todos os níveis, servindo como um elemento aglutinador de conceitos, a fim de permitir que todas as missões sejam cumpridas com segurança, a despeito das adversidades citadas.

De acordo com os princípios da Segurança de voo, o Sistema é composto por todos os integrantes da Aviação do Exército. É estruturado pelo seu órgão central, a Seção de Investigação e Prevenção de Acidentes da Aviação do Exéricto (SIPAAEx) sediado em Brasilia/DF, e pelas demais seções similares existentes no Comando de Aviação do Exército em todas as Organizações Militares da Aviação do Exército, as SIPAA.

Como assessores diretos dos Comandantes, que são os responsáveis pela Segurança de voo de suas Unidades, os Chefes das SIPAA, além de investigarem acidentes e incidentes dos respectivos Comandos Investigadores, direcionam sua rotina de trabalho para, por meio de um trabalho contínuo, identificar e avaliar os potenciais de risco, propondo recomendações de segurança aos seus respectivos Comandantes e, no contexto das atividades educativas, executar ações que visem à manutenção de mentalidade de Segurança de voo junto ao seu pessoal.

Do exposto identifica-se que o SIPAAEx integra o Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos do Brasil, integrando-se ao Sistema de Segurança de voo da Marinha - SIPAAerM e do Ministério da Aeronáutica - CENIPA.

Links Úteis sobre Seguranção de voo

- CENIPA www.cenipa.aer.mil.br
- SIPAerM www.mar.mil.br/daerm

 

Fim do conteúdo da página